Vacina tetravalente contra influenza supera a vacina trivalente em eficácia
Jornada de Imunizações – 15 anos CVP VACINAS
16 de abril de 2015
Informe técnico SBIM sobre Meningococo B.
21 de maio de 2015

Vacinas tetravalentes contra infecções causadas pela influenza podem ser mais protetoras do que as trivalentes. Este é o resultado de um estudo realizado por cientistas americanos que foi apresentado na revista “Vaccine”. A adição de uma quarta cepa tornou a vacina mais eficaz e foi igualmente segura.

As vacinas contra influenza são trivalentes ou tetravalentes. Na maioria dos casos, a vacinação é trivalente e contém duas cepas de influenza A e uma de duas cepas possíveis de influenza B. A vacina tetravalente contém ambas as cepas e, desta forma, reduz o risco de 50 por cento de uso da cepa B errada.

Pesquisadores da Universidade de St. Louis (Missouri) avaliaram os dados de 3.355 adultos hígidos (18 a 64 anos) que receberam uma vacina contra influenza em 38 estados americanos. Os sujeitos foram aleatoriamente injetados com uma das três vacinas: uma vacina tetravalente contendo duas cepas de influenza A e ambas as cepas de influenza B, a vacina trivalente licenciada para a estação de influenza atual ou uma vacina trivalente alternativa que não estava entre as vacinas contra influenza licenciadas.

O estudo revelou que os participantes que receberam a vacina tetravalente apresentaram uma resposta de anticorpos mais potente contra as cepas B e uma resposta igualmente boa contra as cepas A em comparação aos outros sujeitos do estudo.

“Descobrimos que a adição de uma quarta cepa à vacina aumenta a chance de a vacina corresponder às cepas de influenza B circulantes. Ao mesmo tempo, a adição não comprometeu a capacidade de a vacina proteger contra as outras três cepas e foi igualmente segura”, disse o autor do estudo Geoffrey Gorse. Desta maneira, as vacinas tetravalentes são uma boa forma de aumentar a proteção contra influenza.

Os comentários estão encerrados.